sexta-feira, 4 de março de 2011

Versos e Reversos - de João Olímpio de Sales


*Antes que qualquer um tome esses versos para si, saiba que está registrado na família do seu João Olimpio, e terá que ter um bom advogado se quiser copiá-los e publicar no seu nome.


Versos

&

                   

Reversos








“Um legado de João Olimpio de Sales”






Ô Mariinha, Maria, (enfermeira),
 Mexe-me pra lá,
Mexe-me pra cá,
Até eu me aquietar.

h

Sávio vem um dia, (fisioterapeuta),
E outro não,
Mexe com o meu corpo todo
É sua obrigação!

h

Kelly vai dançar, (empregada),
Até de madrugada,
E volta com a Calça
Toda rasgada.

h

Kelly vai às 5 horas
E não volta mais,
Só vem no outro dia,
Cuidar do seu trabalho.

h

Mariinha vai pra praça,
E não quer que ninguém veja,
Vai tomar cerveja,
Pra descartar, diz que guaraná.




Estava aqui de plantão,
Quem me disse foi João.

h

Sávio é muito camarada,
Mas passou a Semana
 Sem fazer nada. (esteve doente).

h

Eu fui à praça,
Parece que fui ao morro,
Fui acompanhado dos meninos,
 De Marcilio, de Mariinha e de Socorro.

h

O povo de Caruaru está pelejando pra eu ir,
Se eu for, vou pra casa de Claudemir.
Lá tenho o meu quarto separado,
Eu mando e não sou mandado.

h

Rauzinho, Rauzão,
Sempre vem me visitar,
Acompanhado do irmão

h

Mariinha quando me viu,
Pediu perdão,
Quem viu foi João.


Lembrando sempre de tu,
Um dia eu vou a Caruaru.

h

Os olhos de Socorro
É de se admirar,
Mas prós pés,
Ninguém pode olhar.

h

Quando quero uma coisa,
Eu vou e trago,
Estava esperando a visita de Thiago.

h

Tava eu e tu, (Mariinha)
Chegou o povão de Caruaru.

h

Estou muito animado,
Vendo este povo todo,
Ao meu lado.

h

                           

                            Paula chegou aqui atrasada,
Quando pequena era muito aperreada,
Hoje ela é casada.


Flávia chegou aqui atrasada,
Hoje se vê morando em Serra Talhada.

h

O que eu falo, Socorro vê,
Está disposta a escrever.

h

Mariinha hoje não pode cochilar,
Mas tem outra em seu lugar (Kelly).

h

Mexe pra lá,
Mexe pra cá,
Amanhã vamos passear.

h

Mexe pra lá,
Mexe pra cá,
Amanhã vamos pra praça passear,
Pra vê onde Mariinha toma Guaraná.

h

Tudo começou com Mariinha, Maria,
Eu agora estou no bem estar.

h


Mariinha disse que era um dom,
Tudo que eu disse, ela acha bom!
Claudemir tem que vir outra vez,
Quando vier traga Japonês.

h

Claudemir eu tenho me lembrado
 De que toda semana tu vens.

h

O fisioterapeuta veio fazer minha fisioterapia,
Aproveitou e bateu minha fotografia.

h

Maria Clara de tudo tá se lembrando,
Com qualquer coisinha tá chorando.

h

Tô aqui, tô me sentindo,
Toda hora estou tossindo.

h

Flávia fez uma promessa,
Para morar em Serra talhada
Ela estava gorda,
Agora está mais magra.

h

Sávio veio fazer a fisioterapia,
E trouxe o celular
E tirou minha fotografia.

Eu estou aqui na cama,
Sem puder me virar,
Agradeço a todo mundo
Que vem me visitar.

h

Marcelo quando era pequeno,
Era muito cheio de opinião,
Botaram o apelido nele de lampião.

h

Eu tava esperando Jullyta chegar,
Ela veio me visitar.

h

Marcilio veio me visitar de noite,
Hoje veio de dia,
E tirou minha fotografia.

h

É o bem que te quero,
 Depois as 6 eu te espero. (Lúcia)


h


Marcilio está aqui de noite
Eu quero que ele venha de dia,
Pra trazer o celular,
E bater minha fotografia.
Sr. João, Sr. João levante deste colchão,
Pra a gente andar de caminhão.
(autor: Kleber)

h

Joãozinho, de noite, vai dormir,
E apagar a luz,
Veio da terra dele,
 E vai morar em Santa Cruz.

h

Vou de vagar,
Eu não corro,
Vou com Socorro.

h

Mariinha, Maria,
Eu vou pro forró do Zé,
E ela tem que me levar.

h

Vou pra diante,
Vou pra trás,
Estou aqui esperando
 Ferra Brás. (Cleones)

h

Estava esperando
Que tu vieste,
Pra agradecer
O que me destes.
Scheila veio aqui,
 Por que eu estava esperando por ela,
Gostei muito por que
Ela trouxe a menina dela.

h

Estou aqui andando,
Só por que Sávio está me ajudando.

h

Tô aqui e vou pra onde quiser,
Vou pra o Forró do Zé,
Vou com Maria Izabé.

h

Oh! Mariinha, Oh! Maria,
Traga o comprimido,
Pra depois eu almoçar.

h

Sávio não veio esta semana,
Por que estava gripado,
Mas ficou muito aperreado.

h


Marcilio veio de noite,
Vou pedir pra ele vim de dia.
Ele tem um celular que bate fotografia.



Maria Clara é aperreada,
Gosta de todo mundo,
E com todo mundo faz camarada.

h

Eu estou aqui a te esperar,
Amanhã de tarde, ele vem me tirar,
Se não vier, vou dormir lá. (Wendell)

h

Zezinha é muito boazinha,
Mas mora sozinha.

h

 Só sei que é uma carreira,
Levo tudo na brincadeira.

h

Eu tô aqui sem fazer nada,
Mas já estou aqui dando uma Caminhada.

h

Eu gosto muito de presunto,
O povo tá se ajeitando pra morar junto. (Zezinha e Paula)

h

Eu tô aqui, vou para lá, e para cá,
Colocar o rosto aqui para eu te beijar. ( Mª Clara)


O que passou na minha vida,
Eu não conto não,
Mas quando pequeno era chorão.

h

Cristiane não gosta de sinagoga,
Mas gosta de 2 dias de folga.

h

Estou com as pernas que não posso andar,
Mariinha me pega pra dançar.
Tudo que eu faço todo muito grita,
Mas o que eu quero
É fazer um brinquedo pra Julita.

h

Julita me quer muito bem,
Quando ela aqui vem.

h

Ele é quem sabe o que vai fazer,
Ele tirou minha foto e eu vou agradecer. (Lucas)

h

Aqui ninguém tem maltrato,
Obrigada pelo retrato. (Marcilio)

h

Eu estou aqui sempre lhe esperando,
E aqui fico me lembrando. (Dr. José Américo)
Tudo nesta vida eu estou arriscando,
Morro nesta casa a mais de 20 anos.

h

É um, é dois e é três,
Leandro tem olho de Japonês.

h

Diogo está triste, mas vai melhorar,
Quando casar.
Cidinha eu estava te esperando,
Quando pensei que não,
Ela estava chegando.

h

Leandro vai pra lá e pra cá,
Mas é muito novo para casar.

h

Hoje eu falei com Cida,
Queria saber como vai
Seu Antonio de Dona Hilda.

h

Soraya fazia tem que eu esperava,
E quando menos esperei, ela chegava.

h

Sávio tanto comigo mexeu,
 Foi embora, ficou de mandar.
 Outro que não apareceu.

h

Quando eu melhorar,
Nada me atrapalha,
Vou sair daqui,
Para ir à praia.

h

Promessa é dívida e eu pago,
Com muita satisfação,
Só não pago agora,
Por que não estou andando não.

h

Eu estava na espera,
Esperando por Socorro e Dona Quitéria.

h

Ele tinha negócios com os homens dos ovos,
Eu estava aqui esperando Cristóvão.

h

Eu estou aqui a esperar,
Nadelson a árvore cortar.

h

Maria Clara quando eu preciso de tu
Eu te chamo, por que eu te amo.

Lucileide ficou pra lá e pra cá,
Quando veio aqui me visitar.

h

Manoelzinho, Manoelzão,
Era pequeno e ficou grandão.

h

Lucileide faz tempo que estou esperando,
Quando eu pensei que não,
Ela vinha chegando.

h

O que estava se passando,
Eu não estava sabendo,
Mas foco feliz de ver
Este povo comendo.

h

Helena veio aqui duas vezes,
E agora ela chegou com Japonês.

h

Eu sou muito querido,
Eu gosto de ver,
O meu povo unido.

h

Agradecendo ao povão,
Que aqui veio dar os parabéns,
No meu aniversário.

h

É um tarara é um tururu,
148 anos está fazendo Caruaru.

h

O dia certo do meu aniversário,
Foi na segunda,
Veio pouca gente, mas teve brincadeira.

h

Está solto eu pego e amarro,
Junior está se batendo
 Para trocar o carro.

h

Eu estou muito apaixonado,
 por uma pessoa que está ao meu lado. (Cocosta)

h

Dona Quitéria saiu de Caruaru
Com os olhos doendo,
Chegou aqui, se operou e saiu vendo.

h

Mariinha, Maria,
Está trazendo todo mundo pra cá,
Não sabe se fica lá ou cá

Eu tenho 4 filhas todas elas são sabidas,
Eu uns versos que vão ficar pra toda vida.

h

Cláudio faz as coisas e tudo, sabe tanto,
Que está ficando de cabelos brancos.

h

Vou me levantar daqui,
Vou sai na carreira,
Rose Meri e Mariinha vão fazer a fogueira.

h

Estou aqui para agradecer,
Os pneus da cadeira que levou para encher. (Ritinha)

h

Eu estou certo e tudo presta,
Chegou Cristão com minhas 2 netas.

h

Eu estava esperando,
Chegou 2 netas loira e a cantora.

h

Eu estava esperando,
Chegaram vocês três,
Espero que voltem outra vez. (Ju, Leilane e Cristóvão)

h

Tu viste aqui e cantasse,
Eu telefonei e tu chagaste. (Izabel)

h

Eu tô aqui, nem estava esperando,
Quando vi Sue Helen ia chegando.

h

Vou pra frente e vou pra trás,
Sue Helen chegou
E pra mim foi bom demais.

h

Estou deitado, vou pra lá e pra cá,
Desta coluna vou pedir a Deus melhorar.

h

Agora no dia dos pais, muita gente vai aparecer,
E eu estou aqui para agradecer.

h

Ieda vem mexer com meus pés, e meus braços,
Mexe pra cima e pra baixo.

h

Eu estou aqui sempre esperando,
No dia dos Pais meus filhos vieram chegando.



Em Caruaru tem muita gente grande,
Tem meu neto que se chama Alexandre.

h

É Lolo! Quando nem esperava ela Chegou.

h

Helô é pequenininha,
 Não tem tristeza,
É bonita que é uma beleza.

h

Tá tudo na brincadeira,
Até Heloisa andando na minha cadeira.
Mesquita faz o que lhe convém,
Vai embora num dia,
No outro vem.





Nenhum comentário:

Postar um comentário